30 novembro 2007

Porco usa protetor solar para passear em SP


Animal, criado em casa na Barra Funda, usa também xampu, hidratante e anti-séptico.
Com cinco meses, o animal já tem 30 kg e é conhecido como um "porco star".




Cuidar diariamente de cães é o ofício de Josemar Melo, de 33 anos. Mas sua "paixão mesmo" é criar um porco chamado Gabriel. É assim que ele define a relação com o novo animal de estimação, hoje com 5 meses, 30 quilos, cerca de 40 cm de altura e um metro de comprimento.


Pouco comum na cena paulistana, o passeio com um porco desse porte requer um certo preparo físico. E psicológico, já que em alguns casos os comentários das pessoas nas ruas soam agressivos para o dono. A empreitada também exige alguns cuidados. Entre eles, passar protetor solar para proteger o animal.

“Tento, na maioria das vezes, responder de maneira educada quando me perguntam se faço um processo de engorda para abate. Digo sempre que é um animal de estimação como outro qualquer”, relata o dono.


A reportagem do
G1 acompanhou o dono e seu ‘porquinho’ de estimação em um passeio pelas ruas da Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo, onde eles moram atualmente.

O sergipano Josemar, um dog walker (profissional que passeia com cães com hora marcada), conta que para continuar com o animal teve de mudar de seu antigo apartamento, na região central de São Paulo, por conta do que considera intolerância de seus vizinhos.


“Os moradores do prédio onde eu morava chamaram a Vigilância Sanitária. Um fiscal foi até o apartamento e constatou que não havia problemas de higiene ou de barulho. Ele até tirou foto no celular para mostrar aos filhos. Após isso, decidi sair do prédio e meu contrato de 30 meses foi quebrado pela administradora”, disse.


Gabriel também tem pedigree, assim como cães e gatos. “Ele é um 'large white', da mesma raça do porquinho do filme. Ele é todo branco com a pele rosada”, conta Melo. O filme a que Josemar se refere é “Babe, o porquinho atrapalhado”, de 1996.

Cuidados

Antes de sair de casa, o dono passa cuidadosamente protetor solar para cuidar da pele do animal que, segundo ele, é delicada. “Além de bloqueador, Gabriel usa também xampu especializado, um creme hidratante para evitar cascos nas patas, além de anti-séptico.”

A alimentação do Gabriel também é cuidadosamente escolhida. No cardápio, ração com fibras e frutas. "Ele gosto muito de melancia, banana e mamão. Também adora uma verdura fresca", destaca o dono.

Josemar ainda não calculou seus gastos mensais com o animal, mas salienta que para ele todo investimento é válido. “É fundamental ter muita responsabilidade para cuidar de um animal, seja ele qual for. O Gabriel necessita de carinho, disciplina e de uma alimentação balanceada para ter uma boa saúde”, conta com orgulho o dono.

Escolha

A história pode parecer triste, mas de acordo com Josemar, a idéia de ter um porco surgiu da perda de uma cadela que caiu do Minhocão (Elevado Costa e Silva), na região central da cidade, durante um passeio.

“Fiquei muito triste com a morte da Isolda [a cadela] e queria um animal diferente para criar. Pensei em um porco, mas tive problemas para encontrar um lugar que vendesse legalmente. Comecei a pesquisar e o encontrei em um haras em Guararema, na Grande São Paulo”, revela.


Hoje, Gabriel vive com outros dois cachorros em uma casa. Alice, uma cadela vira-lata de 4 anos e Orfeu, uma mistura de pastor alemão e labrador, com 7 anos. “A convivência é pacífica e nunca se estranharam”, garante.


Passeios

Entre uma volta e outra, Gabriel costuma causar impressões variadas em quem o vê, de acordo com Josemar. “Em um passeio no shopping Pátio Higienópolis, também na Zona Oeste, fomos parados por inúmeras pessoas, sobretudo crianças perguntando como é o dia-a-dia com um animal como Gabriel, mas nunca sofremos nenhum tipo de preconceito.”

Já em outra ocasião, Josemar disse que Gabriel usava uma camiseta com a frase: polícia. E, neste momento, o dono percebeu que poderia ter problemas ao ser questionado por um policial que passava por uma rua no centro de São Paulo.


“Disse que era uma camiseta comprada em um pet shop e padronizada para o Gabriel. Mesmo assim, o policial me pediu para tirar a roupa do porco. Me recusei. O policial me acusou de desacato”, afirmou.

Gabriel já desponta como um “porco star”, como disse um dos pedestres que o encontraram pela rua. Freqüentemente, populares vão até a casa de Josemar pedir para vê-lo e tirar fotos, como pôde observar a reportagem do
G1. No próximo mês, o bicho participará do seu primeiro programa de televisão. “Ele merece ser reconhecido. Até uma agência de publicidade está interessada no seu potencial”, finaliza orgulhoso o dono.


Robson Bertolino
Do G1, em São Paulo


E é meu vizinho!

2 comentários:

Taís e Cléo disse...

Que máximo!
A Cléo está pedindo um porco para ela!
Será que gatos e porcos se dão bem?
Dormiriam juntos, talvez???

é tudo verdade disse...

o cara ja tem um casal de cães... pq não um gato?? rs