29 agosto 2007

Mulher pede perícia no ânus do síndico

No Edifício Master, a prova é mais embaixo

Gabriela Moreira - Extra

RIO - Uma briga entre vizinhos, em Copacabana, acabou com um pedido no mínimo incomum, no Tribunal de Justiça (TJ) do Rio. Para se defender de uma ação por danos morais, uma mulher pediu que fosse feita uma perícia no ânus do autor do processo. Ela foi condenada a pagar R$ 8 mil de indenização.

O autor em questão é síndico do famoso Edifício Master. Sérgio de Carvalho Casaes, de 58 anos, acionou a moradora Marta Regina Portugal Moreno na Justiça, depois de ela ter posto em dúvida sua opção sexual e o ofendido com xingamentos, como "diabo dos infernos", como ele afirma no processo. A briga aconteceu em abril do ano passado, numa reunião de condomínio.

Tenho o maior respeito pelos homossexuais. Mas é injusto você chamar uma pessoa de uma coisa que ela não é. O maior motivo de eu ter movido a ação foi porque ela me ofendeu, falou do meu caráter, me difamou e ofendeu minha mãe, de 86 anos - disse o síndico.

O que mais chamou a atenção no processo, no entanto, não foi a briga entre os vizinhos, mas, sim, o que Marta, que é advogada, requereu como prova para atestar sua inocência.

- Ela pediu que fosse feito exame de corpo de delito no meu ânus, porque, uma vez comprovada a minha homossexualidade, isso a isentaria de culpa - explicou Sérgio.

O pedido inusitado foi revelado nesta terça-feira pelo jornalista Ancelmo Góis, em sua coluna no jornal O Globo. De acordo com o colunista, após ser julgada em primeira instância, Marta foi condenada a pagar R$ 600 a Sérgio. Insatisfeito com o valor, o síndico recorreu e, desta vez, o desembargador Luiz Felipe Francisco condenou a moradora a pagar R$ 8 mil.

Marta prefere não comentar o assunto.

- Só vou me pronunciar quando não couber recurso. Ele pode ganhar, mas nada garante que vai levar - afirmou a advogada.

(http://extra.globo.com/rio/materias/2007/08/28/297478334.asp)


É como eu li num outro blog.... Cookie é bom ninguém quer dar....

2 comentários:

Madalena disse...

Grande Paulinha... mantendo com maestria este blog na minha ausência! Hahahahaha!
Bjos!
Juju

Anônimo disse...

NO CASO EM TELA, ONDE UMA ADVOGADA PEDE UM EXAME DESTA NATUREZA, PEDIDO ATÍPICO, JAMAIS VISTO NA HISTÓRIA DO DIREITO, SÓ RESTA-NOS ADVOGADOS POR EM DÚVIDA A FORMAÇÃO DA PSEUDO COLEGA ADVOGADA. DEVERIA A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL,COMO ÓRGÃO QUE TANTO PRECEITUA A MORAL E A ÉTICA, APLICAR A DEVIDA PUNIÇÃO. TAL ATITUDE ENVERGONHA A CLASSE.